Cruzeiro cai para o Palmeiras em jogo que não acabou e é rebaixado pela primeira vez em sua história

181

Da redação do Sports Manaus, com informações da ESPN.com.br

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Na última rodada do Brasileirão, os olhos de milhões de torcedores cruzeirense estavam no Mineirão. Ou ouvidos, no radinho. Contra o Palmeiras, o time precisava da vitória, mas sozinha ela não era suficiente. Era preciso ouvir o grito de gol botafoguense no Estádio Nilton Santos. 448 kilometros uniam o fio de esperança.

A condição para a felicidade celeste era o desespero do Ceará. Não deu. A primeira condição para a salvação era a vitória, mas foi o Palmeiras quem venceu. 2 a 0, gols de Zé Rafael e Dudu. Por conta da lamentável atitude dos torcedores, o jogo sequer precisou acabar para o fim chegar.

Com uma campanha de 7 vitórias, 15 empates e 16 derrotas, 27 gols pró e 45 contra, o Cruzeiro foi rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Ficha técnica

Cruzeiro 0 x 2 Palmeiras

GOL: Zé Rafael e Dudu

CRUZEIRO: Fábio; Orejuela (Weverton), Léo, Cacá e Dodô; Henrique, Éderson e Jadson; Marquinhos Gabriel, Ezequiel (Sassá) e Pedro Rocha (Maurício) Técnico: Adílson Batista

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Antonio Carlos e Diego Barbosa; Matheus Fernandes, Bruno Henrique e Lucas Lima; Raphael Veiga (Willian), Zé Rafael (Gabriel Verón) e Dudu Técnico: Andrey Lopes

Estádio do Mineirão

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Estatísticas

No primeiro tempo, o Palmeiras deu 4 chutes, em direção ao gol. O Cruzeiro chutou 2 vezes, mas nenhuma foi na direção da meta de Weverton.

Com o gol que rebaixou o Cruzeiro, Zé Rafael chegou a em 39 jogos. Assim ele fechou a conta de sua primeira temporada no Palmeiras.

Começo ruim antes da bola rolar

Para uma decisão, como era a ocasião, é sempre bom contar com força máxima. Entretanto, o Cruzeiro estava longe de assim estar.

Edilson, Egídio e Ariel Cabral estavam suspensos. Robinho, Dedé e Rodriguinho, lesionados. Thiago Neves foi afastado por Zezé Perrella, presidente do conselho deliberativo.

Começo verde

Os primeiros minutos pesaram para o Cruzeiro. Solto, o Palmeiras dominou o gramado e trocava passes com calma e velocidade. Não demorou mais de um minuto para criar a primeira chance de gol, que foi do próprio zagueiro cruzeirense Léo.

Aos 15 minutos, Zé Rafael recebeu em profundidade pela direita, entrou na área e bateu cruzado, rasteiro. Fábio fez grande defesa.

Esperança carioca

Se no Mineirão nada de bom acontecia para o Cruzeiro, a torcida fez a festa pelo que aconteceu no Rio de Janeiro.

Com 39 do primeiro tempo, os milhares de radinhos anunciaram nos ouvidos da torcida: gol do Botafogo. Agora a Raposa dependia só dela. Se isso é bom ou ruim, é outra história.

O Cruzeiro precisava mudar. Voltando do intervalo, veio Sassá no lugar de Ezequiel. Pouco depois, Weverton substituiu o lesionado Orejuela.

Com oito da etapa final, Sassá recebeu cruzamento de Dodô e cabeceou com perigo, mas Weverton defendeu. Aos 11, Marquinhos Gabriel chegou pela direita e entrou na área com perigo, mas seu chute foi travado.

Hoje não!

Parecia que ia dar certo. Não deu. No contra-ataque, o Palmeiras foi implacável. Após lançamento longo, Cacá disputou a bola com Dudu, afastou mal e ela ficou com o camisa 7 na ponta esquerda. De calcanhar, ele acionou Raphael Veiga, que chegava na linha de fundo. Ele recebeu e rolou para trás, de onde vinha Zé Rafael. De primeira, com a perna esquerda, bateu rasteiro no lado canhoto de Fábio. A rede balançou.

Nove minutos. Foi isso que bastou para o que parecia muito difícil se tornar impossível. No Rio de Janeiro, pênalti para o Ceará após bola na mão dentro da área. Os torcedores no Mineirão não olhavam mais para o campo. O foco era no rádio. Thiago Galhardo, gol.

Agora o Cruzeiro precisava virar o jogo e contar com mais um gol do Botafogo. Se não, seria rebaixado.

Tudo ou nada

Assim que foi gol, Adílson mudou pela última vez. Saiu Pedro Rocha e entrou Maurício. Sem tanta organização ou força, o Cruzeiro se jogou ao ataque.

Faltava força. Chances reais de gol? Nenhuma. O Cruzeiro se despediu como foi em grande parte do campeonato: apático.

Final triste

Dentro de campo, o time não fazia nada. Fora, a torcida protagonizava cenas lamentáveis. As arquibancadas do Mineirão viraram campo de batalha. Cadeiras sendo quebradas e jogadas em campo. O som de tiros de bala de borracha ecoavam no estádio.

Corre daqui, corre de lá. Quando o foco era fora de campo, o Palmeiras fez o segundo gol. Bruno Henrique cruzou da direita e Dudu voou. De longe, cabeceou com perfeição, no ângulo de Fábio.

Com 41 minutos, o jogo acabou. A integridade física de jogadores e torcedores estava em riscos. O árbitro parou a bola enquanto cruzeirenses invadiam o gramado. Gás lacrimogênio transformava as arquibancadas em ambiente cada vez mais hostil.

Aos 44, acabou. Jogadores correram para o vestiário e assim se encerra o Campeonato Brasileiro para Cruzeiro e Palmeiras.

Na tabela

  • Palmeiras- 3° colocado, com 74 pontos
  • Cruzeiro – 17º colocado, com 36 pontos

Próximos jogos

Os dois times voltam a campo apenas em 2020, nos campeonatos estaduais. As datas e horários ainda serão confirmados:

  • Cruzeiro x Boa Esporte, 1ª rodada do Campeonato Mineiro
  • Ituano x Palmeiras, 1ª rodada do Campeonato Paulista



Paulo Rogério

I live in Brazil, in the city of Manaus, which hosted 2014 World Cup matches, the Olympic 2016 men's and women's football tournament. I'm Paulo Rogério Veiga, 51, a reporter, journalist and owner of sports portal www.sportsmanaus.com.br. I would like to inform you that I have received material from FIFA for 35 years, in addition to Conmebol and UEFA. I have also been editor of globoesporte.globo.com/am/ portal. I am working as a press and publicity advisor to leverage your company, product, brand, your soccer career, whether player, coach, club, manager, any professional that Works and conducts business in football. I am a professional / base player agent and a soccer coach. I have contact with agents, international agencies, academies, intermediaries, scoutings, among others in Brazil and in world football, including with signed contract. Another work I do is to attract potential investors to sponsor clubs in Brazilian football, which seek to gain their place in the regional, national and even international scenario. Contact us. E-mail: paulo.imprensa@hotmail.com pauloimprensa@gmail.com Contact: +55 (092) 3629-0651 (office) +55 (092) 99171-9226 (live / watsapp). Leia mais em sobre o editor clicando aqui.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.