SportsManaus
EUROCOPA FUTEBOL FUTEBOL INTERNACIONAL

Eurocopa: Dinamarca anota golaço de falta, ‘dá trabalho’, mas Inglaterra reage, vira na prorrogação com Kane e disputará final inédita contra Itália

Da redação do Sports Manaus, com informações da ESPN.com.br

Foto: Laurence Griffiths/Getty Images

A Inglaterra está na final da Eurocopa 2020. Nesta quarta-feira (7), no Estádio de Wembley, em Londres, o English Team venceu a Dinamarca de virada por 2 a 1, na prorrogação, e agora enfrenta a Itália na grande decisão.

Os gols no tempo normal foram marcados por Darmsgaard, que abriu o placar para a Dinamarca, e Simon Kjaer, que deixou tudo igual para a Inglaterra após marcar contra.

Já na prorrogação, Harry Kane, de pênalti, virou a partida para os ingleses, que acabaram saindo vencedores no confronto.

Na cobrança, Schemichel defendeu a cobrança, mas no rebote o camisa 9 da Inglaterra marcou, chegando a quatro gols na competição.

A partida foi a de maior público nesta Euro. Mais de 64 mil espectadores acompanharam o confronto em Wembley.

Nas escalações, a Inglaterra fez uma única mudança em relação ao time que goleou a Ucrânia por 4 a 0 nas quartas. Jadon Sancho voltou para o banco de reservas, e Bukayo Saka foi mais uma vez titular com o técnico Gareth Southgate.

A Dinamarca, por sua vez, entrou em campo com a mesma escalação da vitória por 2 a 1 sobre a República Tcheca, nas quartas.

No primeiro tempo, a Inglaterra começou muito bem, mas os dinamarqueses cresceram em campo e, não à toa, abriram o placar em Wembley, após golaço de falta de Darmsgaard, aos 30 minutos.

Quatro minutos antes do gol sofrido, aos 26 o goleiro inglês Jordan Pickford bateu um novo recorde a serviço do English Team. O camisa 1 chegou a 721 minutos sem sofrer gols pela seleção, superando o histórico arqueiro Gordon Banks.

A reação dos donos da casa veio pouco minutos depois. Saka fez boa jogada, entrou na área pela direita e cruzou rasteiro para Sterling. No meio do caminho, porém, o zagueiro Kjaer resvalou na bola e marcou contra, deixando tudo igual.

No restante da partida, a Inglaterra seguiu pressionando os rivais, mas o placar se manteve em 1 a 1 ao fim dos 90 minutos, e a partida foi para a prorrogação. Foi então que Kane cravou a presença sua equipe na decisão.

A Inglaterra segue invicta na Euro, com cinco vitórias e um empate, enquanto a Dinamarca se despediu com três derrotas e três vitórias.

Situação do campeonato

Com a classificação, a Inglaterra disputará pela primeira vez na história uma final de Eurocopa e já faz a sua melhor campanha na competição. Em 1996, os ingleses também foram à semi, mas caíram nos pênaltis para a Alemanha, em pleno Wembley.

Este será o terceiro confronto entre ingleses e italianos numa fase final de Euro, a segunda em mata-mata. Na última vez, em 2012, a Itália eliminou a Inglaterra nos pênaltis, nas quartas de final.

Já a Dinamarca, campeã em 1992, foi eliminada pela segunda vez na história na semifinal. A última vez tinha sido em 1984.

O cara: Raheem Sterling

Apesar de não ter balançado as redes, o meia teve grande atuação contra a Dinamarca, ditou o ritmo da partida e foi o responsável pelas principais jogadas da Inglaterra.

Foi mal: Mathias Jensen

O zagueiro dinamarquês, que só entrou no segundo tempo, foi o responsável por cometer o pênalti que permitiu a virada dos ingleses na prorrogação.

Próximos jogos

Novamente em Wembley, a Inglaterra enfrenta a Itália pela grande decisão da Euro. A partida será disputada no próximo domingo (11), às 16h (horário de Brasília).

Já a Dinamarca, que fez uma grande campanha na competição, agora só volta a campo no início de setembro, pelas eliminatórias europeias para a Copa do Mundo de 2022 no Catar.

Ficha técnica

Inglaterra 2 x 1 (1-0 pro.) Dinamarca

GOLS: Dinamarca: Damsgaard (30′); Inglaterra: Kjaer (GC 39′) e Harry Kane (104′)

INGLATERRA: Pickford; Walker, Stones, Harry Maguire e Luke Shaw; Kalvin Phillips, Declan Rice (Henderson), Saka (Grealish / Trippier), Sterling e Mount (Foden); Harry Kane. Técnico: Gareth Southgate.

DINAMARCA: Schmeichel; Christensen (Andersen), Kjaer e Vestergaard (Wind); Larsen (Wass), Hojbjerg, Delaney (Jensen) e Maehle; Braithwaite, Damsgaard (Yussuf Poulsen) e Dolberg (Norgaard). Técnico: Kasper Hjulmand.

 

Outras postagens...

Presidente da Fifa pede mudanças no calendário internacional

Paulo Rogério

Barcelona anuncia acordo com Neymar por fim de ‘batalha’ na Justiça

Paulo Rogério

Aos 38 anos, Samuel Eto’o anuncia aposentadoria do futebol

Paulo Rogério

Leave a Comment

العربية简体中文EnglishFrançaisDeutsch日本語PortuguêsEspañol