full screen background image

Fast confirma favoritismo, vence Nacional no clássico e decide com Rio Negro o AM júnior

86

Foi um jogo movimentado, mas no final o resultado mostrou a superioridade da melhor equipe do Campeonato Amazonense júnior. O Fast Clube confirmou seu favoritismo e venceu o Nacional por 3 a 1, no tradicional clássico Pai e Filho, no segundo jogo da semifinal, garantindo vaga na decisão do Estadual. O jogo foi realizado na tarde deste sábado, 26/8, no Estádio Carlos Zamith, zona Leste da cidade.

Na decisão, o Tricolor de Aço vai encarar o Rio Negro, que perdeu para o Princesa do Solimões por 2 a 1, em Manacapuru, mas se classificou, devido a goleada no primeiro confronto de 4 a 0.

Treinador chega a mais uma final do juniores (crédito: Paulo Rogério)

Para o treinador do Fast, Darlan Borges, a equipe conseguiu a classificação, mas teve pela frente um adversário disposto a lutar até o fim para levar a vaga. Ele disse ao SPORTSMANAUS, que foi preciso a equipe jogar com inteligência.

– Sabíamos que seria uma partida muito difícil, um jogo com muitas dificuldades para nosso time. Fizemos um a zero, tivemos um bom ritmo de jogo no primeiro tempo, onde criamos oportunidade de matar logo no primeiro tempo, mas não fizemos. O time deles acabaram fazendo um gol no segundo tempo, cresceram e tiveram a oportunidade de virar. No final aproveitamos os contra ataques, a velocidade e rapidez do Vtinho, que acabou fazendo dois gols.

Vitinho já soma seis gols no Estadual desse ano (crédito: Paulo Rogério)

Por duas vezes em campo, o atacante Vitinho foi um dos destaques do Fast na vitória que deu a classificação para grande final do campeonato. Segundo jogador, todos se empenharam para conquistar o direito de chegar na decisão.

– Só tenho a agradecer a Deus de ajudar a minha equipe com dois gols. Cada jogador se dedicou melhor que pode, mesmo com preparo físico já na últimas, mas conseguimos passar para final.

Gabriel marcou um dos gols mais bonitos ou até o mais belo do campeonato (crédito: Paulo Rogério)

O Nacional perdeu em campo, mas o gol marcado pelo atacante Gabriel de voleio valeu por todos já assinaldos na competição e até poderia ter valido em dose dupla, pela plasticidade da jogada que balançou as redes.

– O gol deu uma animada no time, conseguimos trabalhar um pouco a bola e partir para cima, mas eles fizeram os gols nos contra-ataques. Faltou um pouco a posse de bola, onde fizemos muita ligação da defesa ao ataque, pois faltou a bola pelo meio – disse o jogador, que teve um total de cinco jogos no Estadual, com passagem pelo próprio Nacional em 2015 e ano passado no juvenil do Sul América.   



EDITOR - Paulo Rogério Veiga, comunicador esportivo, repórter, radialista e agente business de jogadores e treinadores. Contato 55+ (92) 99171-9226 vivo/watsap / 55+ (92) 98193-1304 tim/watsap. Email: pauloreporter@hotmail.com / pauloimprensa@gmail.com Leia mais em sobre o editor clicando aqui.