SportsManaus
FUTEBOL AMAZONENSE

“Não vou mudar meu esquema”, disse técnico do Imperatriz-MA sobre jogo que define o acesso à Série C

Foto: Antonio Pinheiro Silva/MA 

Em sua segunda participação no Brasileiro da Série D, depois de vencer o primeiro jogo pelas quartas de final o Manaus por 1 a 0, e abrir uma boa vantagem, a Sociedade Imperatriz de Desportos-MA está próximo do tão sonhado acesso à Série C de 2019. Considerado o jogo mais importante da temporada, o Cavalo de Aço com empate garante vaga ou se perder pela diferença de um gol, vai definir na cobrança de penalidades. A partida será neste domingo, 8/7, às 17h (18h de Brasília), no Estádio Ismael Benigno, a Colina, Zona Oeste da cidade.

Com chegada marcada para esta sexta-feira, 6/7 a Manaus, a delegação do Imperatriz busca um acesso inédito, acreditando no potencial e qualidade do elenco. A ideia é superar seus adversários nos momentos mais decisivos na Série D, a exemplo do que será na partida de volta com Manaus.

Com apenas dois meses no comando do Imperatriz, Márcio André Correa Catanhede, de 39 anos, conhecido como Marcinho Guerreiro, saiu do Moto Clube, onde foi campeão Estadual para deixar o seu atual clube muito próximo da Série C.

Mesmo com a vantagem do simples empate, o treinador do Imperatriz não admite mudar sua forma de jogar e muito menos jogar com regulamento debaixo dos braços. Segundo ele, o time já tem uma postura tática e não vai mudar, apesar de jogar fora e ter contra toda torcida do adversário.

– Sabemos que temos uma vantagem, mas vamos jogar como estamos jogando, tanto dentro de casa ou fora, assim como foi com o América-RN e Moto Clube. Não podemos ir para se defender, não vou mudar meu esquema, minha plataforma de jogo, jamais. Vou ser covarde comigo mesmo e com minha equipe, porque como sempre falo, tenho uma ideia de jogo e esquema de jogo, jamais vou mudar. Temos respeito pelo Manaus e humildade para marcar e marcar muito, depois que tiver a bola é jogar. Esse vantagem que temos vai servir se tiver um 0 a 0 no segundo tempo, faltando dez minutos para acabar, aí sim, se pode pensar no regulamento. Sabemos que vai ser um jogo difícil e pode ser decidido em detalhes – explicou.

Com exclusividade ao SPORTSMANAUS, o técnico do Imperatriz, ressaltou o bom resultado obtido sem seus domínios, pois o clube não tinha passado da primeira fase. Ele disse que terá pela frente um adversário de qualidade e muito perigoso.

– Sem dúvida, vencer em casa já é uma grande vantagem. O time do Manaus tem muita qualidade, são jogadores que alguns jogaram comigo e outros contra, tem um treinador bastante experiente e bem rodado. Com certeza, nós sabíamos que seria um jogo difícil, conseguimos uma grande vantagem, mas respeitando o Manaus. São jogos difíceis e quem chega nesta fase é por méritos e qualidade. Cada mata-mata o grau de dificuldade é maior, e não seria diferente com Manaus – observou o treinador, mas admitiu que já tinha informações do adversário.

– No jogo aqui (Imperatriz) eles fizeram muito a jogada aérea, tem uma bola parada muito boa, tem um jogador muito alto, o Hamilton, onde vai muita bola alçada para ele fazer o desvio ou pivô. Mas deu para conhecer a característica dos jogadores, onde alguns já conhecia, mas nós não conhecíamos o time do Manaus. Já vimos alguns jogos da Copa Verde, mas provavelmente também eles vão ter que sair para o jogo em casa, tem que buscar o resultado, porque precisa de gols. Vamos trabalhar algumas variações e situações para se precaver e ter algumas condições de chegar no gol deles.

Sobre a partida decisiva na capital amazonense, que define o acesso à Série C do ano que vem, Marcinho Guerreiro, já passou por uma situação semelhante e saiu vitorioso. Para ele, o mais importante é a experiência, principalmente para o confronto mais importante da temporada.

– Passei sim, no Moto Clube em 2016, quando fui auxiliar técnico, quando nós subimos. Tivemos o primeiro mata-mata com o Águia de Marabá-PA, onde vencemos de 1 a 0 em São Luís, depois empatamos em Marabá. Depois disso, passamos contra o Juazeirense-BA, contra o Atlético-AC, que hoje está na Série C, onde empatamos em 2 a 2 em São Luís e ganhamos no Acre. São situações diferentes e grau de dificuldades imensa, e já passamos por isso, mas temos um pouco de experiência dessa situação. Agora é ter tranquilidade para trabalhar e esperar a hora do jogo – completou.

Outras postagens...

Pela fase classificatória, Penarol joga com o GAS-RR, mas de olho no mata-mata da Série D

Paulo Rogério

“Vamos jogar uma decisão”, diz técnico do São José-RS sobre o jogo com Nacional pela Copa do Brasil sub-20

Paulo Rogério

Técnico do Fast afirma que erros do jogo anterior não podem se repetir contra o Independente-PA

Paulo Rogério

Leave a Comment

العربية简体中文EnglishFrançaisDeutsch日本語PortuguêsEspañol