SportsManaus
FUTEBOL AMAZONENSE

No clássico Rio-Nal, Rio Negro e Nacional empatam no 1º jogo da semi do AM sub-18

A rivalidade entrou em campo no tradicional clássico Rio-Nal no futebol de base, mas no final Rio Negro e Nacional não saíram do empate sem gols. A partida foi a primeira da semifinal do Campeonato Amazonense sub-18 e tecnicamente não foi muito boa, porém, não faltou disposição dos dois lados para sair um vencedor. O jogo foi realizado na tarde desta segunda-feira, 20/11, no Estádio Ismael Benigno, a Colina, Zona Oeste da cidade.

Com a melhor campanha na fase classificatória, o Nacional joga pelo empate para chegar à final da competição. Ídolo do Naça, o ex-jogador Garanha, disse ao SPORTSMANAUS, que a partida foi igual, apesar das chances criadas no ataque, mas que não foram convertidas em gols.

Garanha afirmou que as mudanças na equipe no jogo não tiveram um resultado positivo (crédito: Paulo Rogério)

– Na verdade foi um clássico bem jogado. Sabíamos que seria difícil, mas nós tivemos chances de fazer os gols e eles também. Foi um bom jogo, aberto, mas temos que melhorar bastante. Infelizmente as mudanças que fizemos não surtiram efeito. A vantagem vamos ver no final do outro jogo, Vamos trabalhar e sabemos que podemos usar a vantagem, mas só no final.

O resultado poderia ter sido diferente, se não fosse a defesa do goleiro Almeida, que defendeu um pênalti do Rio Negro. Para o jogador, revelado na escolinha do Naça, o preparador de goleiros Nailton, foi quem alertou sobre a característica do jogador, que culminou em sua defesa.

Treinador do Galo orienta seus jogadores, mas já pensa na partida de volta da semi (crédito: Paulo Rogério)

– No primeiro turno ele bateu no canto e peguei o pênalti. O professor Nailton avisou para pular no canto direito no primeiro jogo, mas eu não liguei muito e pulei no esquerdo. Nesse jogo escutei ele, e deu tudo certo. O segundo jogo vai ser até melhor, porque vamos ter mais tempo para treinar – afirmou.

Para o treinador do Rio Negro, Ribamar Santos, a partida poderia ter sido melhor tecnicamente, mas agora é esquecer e pensar no jogo de volta que define o finalista da categoria.

– O jogo foi ruim, acho que as duas equipes se preocuparam muito de ganhar o jogo, partiram no desespero na anisa de ganhar, o que tornou um jogo mais brigado do que jogado. No segundo jogo vamos ter uma equipe melhor, até porque não tivemos tempo para treinar. No segundo jogo é ganhar, nós tivemos a possibilidade de fazer isso e erramos o pênalti.

Atacante do Nacional tenta fazer o gol, mas é cercado pela zaga do Rio Negro (crédito: Paulo Rogério)

Outras postagens...

EXCLUSIVO: Campeão em 2014, Sinomar Naves retorna ao Nacional-AM para disputa de três competições

Paulo Rogério

De olho na arbitragem mundial, Anne Kesy participa do Curso FIFA Promissores

Paulo Rogério

Princesa vence JC fora de casa e assume a terceira colocação no estadual

Paulo Rogério

1 comment

Fernando Lucio novembro 21, 2017 at 10:01 pm

Rio Negro vai passar fácil à final, com goleada e tudo pra cima desse nanico de meia-tigela

Reply

Leave a Comment

العربية简体中文EnglishFrançaisDeutsch日本語PortuguêsEspañol