full screen background image

Revelado no amador, Luciano Berredo revela a experiência de comandar o Tarumã no AM júnior

2137

Acostumado a trabalhar com a garotada em competições amadoras pelos bairros da cidade, Luciano Berredo, 38, teve sua primeira chance de comandar uma equipe no Campeonato Amazonense júnior, o Tarumã Esporte Clube. Convocado às pressas para assumir na reta final do segundo turno, o treinador nos setes jogos, somou cinco derrotas, um empate e uma vitória. Apesar da campanha não muito boa, para ele foi o suficiente para ganhar experiência numa competição oficial.

Luciano Berredo, confessou ao SPORTSMANAUS, que tudo surgiu de uma forma muito rápido, sem ele imaginar que poderia logo assumir o Tarumã numa competição da FAF. Ele disse, que ano passado quase deu certo no juvenil, mas esse ano finamente teve sua oportunidade.

– A chance surgiu de uma forma inesperada, mas sempre tive esse desejo. No início do campeonato meu amigo Dhiego Maquiné foi efetivado como técnico e fui auxiliar. Por alguns motivos pessoais me afastei do clube, e com a saída do Dhiego outro técnico assumiu, mas logo após a partida com Holanda se desligou. O diretor Maquiné entrou em contato comigo, me ofereceu a oportunidade e aceitei de imediato, pois conheço mais de 80% da equipe – explicou.                        

O treinador já realiza um trabalho no futebol amador com um projeto social (crédito: Paulo Rogério)

Estreante na beira de campo, na competição que decide o representante do futebol amazonense na Copa São Paulo de Futebol júnior em 2018, o treinador do Lobo do Norte, confessou que não sentiu muita diferença de comandar o time em relação as outras equipes nos campeonatos amadores.

“Sinceramente não percebi diferença, mas confesso que todos que trabalham no amador temos esse sonho, ou seja, de disputar um Campeonato Amazonense, pisar em um estádio oficial, enfim, meu sonho foi realizado, mas não com o resultado esperado dentro de campo – lamentou.

– Infelizmente não conseguimos nosso primeiro objetivo, que era ficar entre os quatro primeiros, e com isso avançar para próxima fase. Saio com a cabeça erguida, temos um grupo muito qualificado, por isso, o futebol é amado por todos, pois se não houver influência externa nem sempre os melhores vencem – indagou.

Projeto

Idealizador do projeto Craque na direção certa, com lema “Se não formamos jogadores, formaremos cidadãos de bem”, Luciano, confessou que seu trabalho já revelou bons jogadores para o futebol de base local.

– O nome é Itália Manaus, e esse projeto iniciou com uma garotada de 95, que era treinada pelo meu amigo Deive Trindade, e eu era o técnico. Além disso, tinha os meninos de 98, comandado por Walciely Trindade, falecido em 2013. Quando assumi, o grupo ganhou tudo no amador, revelando alguns jogadores, como meu amigo zagueiro Kennedy (Guigui), hoje no profissional do Fast Clube – lembrou.



EDITOR - Paulo Rogério Veiga, comunicador esportivo, repórter, radialista e agente business de jogadores e treinadores. Contato 55+ (92) 99171-9226 vivo/watsap / 55+ (92) 98193-1304 tim/watsap. Email: pauloreporter@hotmail.com / pauloimprensa@gmail.com Leia mais em sobre o editor clicando aqui.