full screen background image

Spartan Muay Thai reuniu AM e PA, com público surpreendente na Ponta Negra

57

Da redação do SPORTS MANAUS, com informações da Assessoria de Comunicação da Sejel

A Ponta Negra recebeu neste sábado, dia 22, o Spartan Muay Thai, onde um ringue foi montado para receber 11 combates e as disputas colocaram frente a frente Pará e Amazonas. Pelo evento, quem se deu melhor foram os paraenses, que subiram ao lugar mais alto do pódio sete vezes, contra quatro da seleção da casa. O evento, que iniciou às 19h e finalizou às 23h, recebeu apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude Esporte e Lazer (Sejel). 

A primeira luta da noite foi protagonizada por Brenda Machado (PA) e Ketlen Shayene (AM). O combate foi regado a muitos chutes da paraense, que não perdoou a parte abdominal da amazonense. Desferindo socos e joelhadas,  Machado não precisou nem do terceiro round para se sagrar campeã. Na segundo etapa, encaixando uma mão pesada em cima da adversária, venceu por nocaute técnico.

– Estou muito realizada, pois não esperava ganhar no segundo round e tinha me preparado para uma luta dura. Foram dias e dias de treino, e essa título me dá muita satisfação. Estou há quatro meses no Muay Thai, vim do Karatê, e quero continuar neste esporte. Pretendo participar de outros eventos aqui em Manaus e ganhar cada vez mais experiência – disse a atleta, que disputou a categoria 57Kg, no auge dos 19 anos de idade, que ainda divide a rotina de lutadora com a de estudante de odontologia.

Outro `vizinho` que se destacou foi Diego Frajola, que enfrentou Dener Silva, pela 71Kg. Ambos tiveram uma trocação intensa, chegaram ao terceiro round visivelmente cansados, e o paraense conseguiu se dar melhor após decisão dividida dos juízes. O jovem de 31 anos de idade coleciona cinco anos no esporte e considerou o combate como uma revanche, uma vez que enfrentou o amazonense em fevereiro, no Open de Muay Thai, no Rio de Janeiro. Na época, ele também havia se destacado por decisão unânime.

– Para mim foi uma revanche e graças a Deus fui vitorioso. Tambem venci a do Rio de Janeiro e já deixei aberto para ele mais uma luta, só que dessa vez vai ter que ser na minha casa, pois já nos enfrentamos fora de casa, na casa dele, e agora falta na minha, com a torcida paraense em peso – considerou o atleta, que há 20 anos é apelidado como Frajola, referente ao desenho animado, devido o nariz grande, como ele mesmo conta.  A graça veio da época do Jiu-Jítsu.

– Sou faixa preta de Jiu-jítsu, terceiro dan, e ganhei esse apelido ainda muito menino. Tenho o nariz grande mesmo, meu amigo Buda que colocou, mas pegou e até hoje levo isso. Até hoje pratico a arte suave pela RTT, e dedico a vitória de hoje para minha família, em especial minha filha Juliane Souza.

Dando um show no primeiro round, Alvaro Barata ganhou do amazonense Dereck Lira, após aplicar uma joelhada que voou no adversário, vencendo por nocaute técnico. Essa foi a primeira vez do atleta em Manaus. A `visita`, segundo ele, será guardada com carinho, principalmente após a conquista da medalha de ouro pela 57Kg.

– Gostei muito de vir a Manaus, os lutadores são bons e pude conhecer essa cidade que parece muito com a minha. Assim, me senti em casa e não fiquei nervoso. Lutar na casa do adversário é sempre um perigo e mantive a calma, o respeito e a concentração. E o mais importante é que mostrei meu trabalho, ganhei, mas também já fui cumprimentar meu oponente e quero ser colega dele de trabalho, e quem sabe vir treinar com ele numa próxima vez – disse  Barata,  29, que há seis meses iniciou no Muay Thai, e no MMA tem um cartel cinco lutas e três vitórias.

Para Dereck, de apenas 16 anos, o dia não foi tão feliz, mas a experiência conta como lição para os próximos combates.

– Ele conseguiu encaixar uma joelhada, e eu não consegui mais continuar, pois desmontou minha costela. Fiquei triste, mas bola pra frente, pois tenho que aprender com os erros e treinar cada vez mais – disse ele, que tem cinco anos de esporte.

Dando alegria as amazonenses, Jeremis Elvis mostrou técnica apurada e aproveitando um momento de descuido de Gabriel Cigano (PA) encaixou um golpe na altura do ombro, que chegou a lesionar o braço do paraense. “Meu adversário é conhecido como nocauteador, mas consegui bloquear todas as tentativas dele e numa vacilada encaixei um Matron e o machuquei”, comentou o amazonense, que atualmente vive do esporte.

– Estou no esporte há oito anos, tenho 22 anos, e hoje em dia consigo viver do Muay Thai, e levo vida de professor e de atleta. Quando não estou dando aula de Muay Thai, estou treinando e acredito que isso me ajuda muito, pois treino ao extremo. Estou muito feliz por ter dado essa felicidade aos amazonenses – destacou.

Para o organizador do evento, Ricardo Thai, o evento surpreendeu as expectativas, principalmente em relação ao público, que em rotativo reuniu uma média de 400 pessoas.

– Hoje tivemos aqui um verdadeiro espetáculo e um intercâmbio para o esporte. O Pará realmente mostrou resultados indiscutíveis, mas nossos atletas por outro lado foram guerreiros e tudo o que foi vivido deixou conhecimento como legado. A cada disputa, verificamos no que podemos melhorar, afinar, e o público foi nossa grande alegria, pois encheu a Ponta Negra e nos prestigiou. Para nós, é um prazer ver tanta gente admirando nossa arte – afirmou.

Resultado – amazonenses vencedores:

Jeremias Elvis venceu Gabriel Cigano

Jefferson Santos venceu Breno 

Arilene venceu vs Estefani  

Ericles Rolim venceu João Paulo

Contatos para imprensa

Ricardo Thai, organizador do evento- 99362-1862

Éricles Rolim, lutador – 99456-3084                                                         



EDITOR - Paulo Rogério Veiga, comunicador esportivo, repórter, radialista e agente business de jogadores e treinadores. Contato 55+ (92) 99171-9226 vivo/watsap / 55+ (92) 98193-1304 tim/watsap. Email: pauloreporter@hotmail.com / pauloimprensa@gmail.com Leia mais em sobre o editor clicando aqui.