full screen background image

STJD interdita São Januário após briga generalizada e morte de torcedor

84

Da redação do SPORTS MANAUS, com informações de Gabriela Moreira, do ESPN.com.br

O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) interditou na tarde desta segunda-feira o estádio São Januário por tempo indeterminado até que uma nova vistoria seja realizada.

A decisão foi tomada após pedido da Procuradoria do órgão durante a manhã e atendida pelo auditor Paulo Salomão após as cenas de selvageria presenciadas no palco no último sábado, no clássico entre Vasco e Flamengo, que resultaram na morte de um torcedor e outros três hospitalizados. Ela havia sido sinalizada também pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, cujo promotor Rodrigo Terra afirmou ao ESPN.com.br que faria a mesma solicitação e incluiria ainda a CBF e a Ferj. 

A denúncia pede pena máxima, que é de 25 perdas de mando de campo, e multas entre R$ 300 mil e R$ 400 mil para o Vasco. 

A CBF se manifestou também através de nota corroborando a decisão e, em ofício, citando nominalmente a torcida cruzmaltina como responsável pelo incidente. 

– Proibir a presença de público no Estádio de São Januário (Vasco da Gama), em quaisquer partidas programadas em competições de futebol coordenadas pela CBF, não sendo, pois, permitida, sob nenhuma hipótese, a presença de torcedores na referida praça esportiva – diz a entidade. 

A medida acontece pouco depois de entrevista coletiva do presidente do Vasco, Eurico Miranda, em que ele atribuiu a maior parte da culpa pela briga generalizada à PM (Polícia Militar). 

O cartola ainda acrescentou que não aceitará julgamentos precipitados e sem a devida apuração. 

– Não posso permitir que um estádio histórico como esse, que todas as medidas são tomadas, por causa de um incidente, grave, sem dúvida, dizer que São Januário não é seguro é uma barbaridade. Vou lutar com tudo o que posso para evitar isso. É absolutamente seguro. Se outras medidas precisam ser tomadas, serão tomadas. Mas o estádio é seguro – afirmou Eurico. 

– Não vamos nos submeter a julgamentos precipitados, sem a devida apuração dos fatos. O clube vai usar de todos os seus recursos. Desde já reafirmo algo, o Vasco não se exime de responsabilidade nenhuma. Mas não tem responsabilidade nenhuma sobre os fatos que ocorreram. Tudo o que foi solicitado foi feito. Já vi outras coisas que não tomaram essa proporção. Posso citar diversas – completou.

A confusão aconteceu já no final do clássico, que teve vitória do Flamengo por 1 a 0. Torcedores vascaínos atiraram diversos objetos no gramado, enquanto os jogadores do Fla não conseguiam descer para os vestiários – a entrevista coletiva do técnico Zé Ricardo, inclusive, foi cancelada. 

Rivalidade e ambiente político carregado no Vasco: Mauro explica contexto da confusão em São Januário. As brigas continuaram do lado de fora e a torcida visitante demorou a deixar o estádio. Além da suspensão provisória, São Januário corre o risco de levar até dez jogos de suspensão pelos ocorridos.



EDITOR - Paulo Rogério Veiga, comunicador esportivo, repórter, radialista e agente business de jogadores e treinadores. Contato 55+ (92) 99171-9226 vivo/watsap / 55+ (92) 98193-1304 tim/watsap. Email: pauloreporter@hotmail.com / pauloimprensa@gmail.com Leia mais em sobre o editor clicando aqui.