SportsManaus
FUTEBOL AMAZONENSE

“O formato é prejudicial”, diz técnico do Independente-PA sobre jogo com o Fast pela Copa Verde

Foto: Reprodução

Campão estadual em 2011, o técnico Sinomar Naves, 65 anos, em sua terceira passagem pelo Independente-PA, continua seu trabalho de preparação para encarar o Fast Clube, em jogo único da primeira fase da Copa Verde. O jogo será realizado na quarta-feira, 20/1, às 16h (17h de Brasília), na Arena da Amazônia, em Manaus. Em caso de empate, a definição da vaga para a próxima fase será nas cobranças de penalidades.

Da cidade de Tucuruí, o comandante do Galo Elétrico, comentou sobre o início da temporada, tendo logo de cara a Copa Verde. Para ele, isso tem suas vantagens, mas pode ter também o seu lado negativo.

– A competição no formato que vai acontecer é prejudicial. As equipes que não estão em atividade é também muito atípico, porque se pode fazer um, dois ou mais jogos. Essa primeira fase é eliminatória com jogo simples, e nós como vamos iniciar jogando na casa do adversário, temos uma dificuldade maior. Também entendo que a competição causa dificuldades para a preparação também depois pro estadual, em função desse início – alertou ao SPORTS MANAUS.

Para superar a participação do Independente na Copa Verde em 2015, quando ficou na primeira fase para o Brasília, Sinomar Naves, apesar do pouco tempo de trabalho e com o time ainda em formação, disse que a meta é chegar bem longe.

– Esse ano na Copa Verde pretendemos fazer uma boa apresentação, diferente da última de 2015. Nós queremos chegar o mais longe possível, até porque é uma possibilidade de a equipe representar bem o Pará. Quiçá nós possamos transpor todas essas dificuldades iniciais que podem atrapalhar, mas a preparação está sendo feita, onde a formação acontece com um pouco de dificuldades. Vamos buscar em um espaço de tempo muito curto de preparação a racionalização de todo tempo que tivermos – reiterou, mas afirmou que ambas as equipes devem vir diferentes quando se enfrentaram na Série D.

– Agora é outra situação, até porque nossa equipe está sendo montada do zero. Com certeza, até o nosso jogo, a equipe do Fast não será a mesma também e deve ser modificada. Diante disso, não teremos nenhuma vantagem, assim como nosso adversário também. Nós estamos montando nossa equipe, numa situação totalmente diferente do que foi na Série D – completou.

Além da preocupação do jogo com o Tricolor de Aço, o treinador mostra mais preocupado com a atual situação da pandemia da Covid-19 em Manaus. Segundo Sinomar, o correto seria adiar a partida para outra data ou até mesmo outro local.

– Nesse momento em que se encontra a cidade de Manaus é muito delicado, pois o importante é que se preserve vidas. O futebol vem em segundo plano, onde nós gestores temos que entender de ser um momento do Brasil e do mundo que precisamos cuidar dos cidadãos. Nesse momento, acho que o mais racional seria o adiamento dos jogos em Manaus ou em qualquer outro lugar que possa causar problema de saúde para as pessoas – comentou.

 

Outras postagens...

Arrasador, Manaus goleia Fast por 4 a 0 e conquista o bicampeonato na Arena da Amazônia

Paulo Rogério

Em jogo com o Avaí-SC pela Copa do Brasil, técnico do Nacional afirma: “A nossa meta é sair com a vitória”

Paulo Rogério

Técnico da Esmac-PA diz que vitória diante do Iranduba pode selar a vaga no Brasileiro Feminino

Paulo Rogério

Leave a Comment

العربية简体中文EnglishFrançaisDeutsch日本語PortuguêsEspañol