SportsManaus
FUTEBOL AMAZONENSE

Sobre punição do TJD, dirigente do São Raimundo afirma que sempre sobra no final para o clube

A confusão que envolveu torcedores fora do Estádio Ismael Benigno, a Colina, na partida entre São Raimundo 1×1 Fast, pela terceira rodada do Campeonato Amazonense, na última terça-feira (28/1), teve como consequência o pedido de suspensão preventiva da torcidas organizadas do Tufão da Colina, no prazo de 30 dias, nos jogos pelo estadual.

O pedido foi publicado nesta quinta-feira (30/1), pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD/AM), por meio da procuradoria do órgão, nos termos do artigo 35§1˚ do CBJD. A decisão impõe uma multa no valor de R$ 10 mil, tanto para o clube, como a Federação Amazonense de Futebol (FAF), em caso de descumprimento as recomendações das torcidas organizadas, como exibição de faixas, cartazes, blusas, entre outros, bem como, entoar cânticos e hinos, fogos, aglomeração e quaisquer outros movimentos e atitudes que configurem torcida organizada.

De acordo com diretor de futebol do São Raimundo, Anderson Belchior, sempre é alertado aos torcedores do clube ao longos dos anos sobre os cuidados de incidentes ou conflitos com outros torcedores. Para ele, no final sempre quem é punido na verdade é o clube, por conta da atitude de alguns torcedores.

– Todos os anos acontece e nunca tomam uma medida cabível para isso, por incrível que pareça, não é o primeiro ano e nem o segundo, mas sempre sobra para o clube. Todos os anos falamos a mesma coisa …, e não tem nem o que falar para ser sincero. Não vou me preocupar, já que o tribunal colocou essa punição, vamos verificar quem estava envolvido. Não temos poder de polícia para proibir de estarem no estádio. O que podemos fazer é alertar a instituição, ou seja, as organizadas que estavam envolvidas – comentou ao Sports Manaus, mas ainda completou.

– O que acho errado é punir toda torcida, visto que não eram todas que estavam nessa situação. Vamos recorrer para ver as torcidas que não se envolveram nisso. Acho que é uma injustiça muito grande punir quem não estava na confusão. Sabemos que a nossa torcida faz uma diferença muito grande na hora do jogo. Não queremos que essa punição seja para todas – lamentou.

De acordo com dirigente do Tufão da Colina, se houve uma conflito entre as torcidas de ambos os times, os torcedores do adversário também deveriam ser punidos e não apenas de um clube.

– Pelo que eu li, a punição foi em cima do São Raimundo, pelo que foi lançado na sumula. Por incrível que pareça, todos os anos quando tem briga entre as duas torcidas somente do São Raimundo é punida. Todos os anos que tem reunião com o policiamento, a federação e até mesmo com tribunal sobre isso, alguns anos atrás, as torcidas do São Raimundo sempre comparecem, nunca deixam de comparecer, diferentemente do Fast que não vai – contou, mas ainda lembrou.

– Infelizmente o delegado da partida foi infeliz de colocar citar somente a torcida do São Raimundo. Mas como falei antes, se o tribunal puniu vamos cumprir, mas também não vamos ficar de braços cruzados e vamos tentar reverter para as torcidas que não estavam envolvidas possam adentar nos estádios com seus instrumentos e faixas – concluiu Anderson.  

Outras postagens...

Com um time jovem, técnico do Ypiranga-AP afirma sobre o Fast na Série D: “É difícil estrear fora”

Paulo Rogério

Para o Amazonense, técnico do Nacional aposta na base do Galo em seu trabalho na equipe Sub-19

Paulo Rogério

Com recurso do Fast, auditor do TJD concede efeito suspensivo e anula decisão da terceira comissão

Paulo Rogério

Leave a Comment

العربية简体中文EnglishFrançaisDeutsch日本語PortuguêsEspañol