SportsManaus
FUTEBOLFUTEBOL AMAZONENSE

No primeiro treino, técnico do Nacional diz que a meta é montar um grande time e uma base para a Série D

Naça inicia os treinos com quase dois meses antes de sua estreia no estadual, no tradicional clássico Rio-Nal, no dia 28/01

Foto: Deborah Melo/Ascom Nacional

Sem perder tempo e pensando em bons resultados e conquistas, tendo no calendário na próxima temporada, o Campeonato Amazonense da Série A e o Brasileiro da Série D, o Nacional FC saiu na frente dos seus adversários, e iniciou sua pré-temporada, na tarde desta quarta-feira (7), no CT Barbosa Filho, bairro Aleixo, zona Centro-Sul. Pelo estadual, o Leão da Vila Municipal estreia diante do Rio Negro, no tradicional clássico Rio-Nal, no dia 28 de janeiro, em local e horário a ser definido pela FAF.

Em seu primeiro trabalho físico e técnico, com o grupo do Naça, o técnico Wellington Fajardo, em seu retorno ao futebol amazonense, afirmou a importância de se começar bem cedo, mas principalmente montar uma base pensando também na disputa da Série D, um dos principais anseios do clube no ano que vem.

– Existe um hiato de seis a sete anos, que o Nacional não consegue ganhar um título estadual, coisa que foi algo costumeira durante muitos anos. O que acontece da forma como a gente vê o futebol, ou seja, o Nacional nem todo ano, e o ano inteiro, haja vista, como aconteceu esse ano, não manteve uma base, não tinha um jogador esse ano que pudemos aproveitar. É um novo trabalho, que começa do zero, onde gostaria de deixar bem enfatizado isso. A gente vai montar a partir desse grupo uma base para ter um acesso para a Série D – explicou Fajardo ao SPORTS MANAUS, mas lembrou o trabalho vitorioso no Gavião do Norte, quando conquistou o acesso à Série C.

Novo elenco do Naça iniciou sua preparação para a próxima temporada no CT Barbosa Filho (Foto: Agência Sports Manaus)

– Como aconteceu no Manaus, onde bateu na trave uma ou duas vezes e acabou subindo com a minha chegada e da comissão técnica, lá existia uma base de jogadores de cinco a seis há muito tempo, ou seja, manteve uma base. Isso é o correto de o Nacional trabalhar o ano inteiro. Um clube da grandeza do Nacional não pode trabalhar apenas seis meses, isso é inadmissível, porque se perde muita coisa como torcida e patrocínio – completou o comandante do Leão.

LEIA MAIS:

Com a oportunidade de trabalhar em um clube de grande tradição e com uma torcida muito exigente, Fajardo, disse que deseja fazer um trabalho diferente em relação aos anos anteriores, porém, conquistando resultado, de acordo com a grandeza do Naça.

– Qual a nossa intenção: é montar e fazer um grande time, mas para isso teríamos que começar cedo, na qual desse time tentar buscar um título estadual, mas o principal também, que falo a nível macro é manter uma base para o Nacional não parar, porque não é time de ficar seis meses parado. Essa é a nossa intenção primeiramente aqui – salientou o treinador.  

 

 

 

 

Outras postagens...

Pela Copa do Brasil Sub-20, técnico do IAPE-MA enfrenta o Fast e avisa: “É um grupo unido e coeso”

Paulo Rogério

Vinicius Jr. destrói com hat-trick ainda no 1° tempo, Real Madrid goleia Barcelona no El Clásico e é campeão da Supercopa da Espanha

Paulo Rogério

Com pressão e um jogador a menos, Manaus empata com Nacional e conquista o returno do Amazonense

Paulo Rogério

Leave a Comment

Este site usa cookies. Isto é necessário para que sua navegação seja mais eficiente. Não coletamos nenhum dado pessoal do seu navegador. Entendi! Leia mais...